Sedãs antigos seguem como opção mais barata para o consumidor: veja quais são

Novidades nas linhas HB20, Onix, Versa e Cronos deixam modelos antigos atrativos no preço

Com uma enxurrada de novidades neste ano, o mercado dos carros compactos que supera as 500 mil unidades por ano, tem atenção de todas as montadoras. Repare que as que não tem carros compactos costumam ter participação ínfima nos índices de venda. Na composição desse portfólio, no caso dos sedãs, as montadoras se desdobram para não deixar de oferecer novidades ao mesmo tem em que mantém na linha modelos antigos com preço mais atrativo.

O Farol da Bahia lista aqui os sedãs que fazem o papel de "carro de combate" para aumentar o volume e atender tanto os que não tem orçamento para um modelo mais caro quanto quem não faz questão de um automóvel atualizado.

O campeão dessa batalha é o sedã baseado no Onix, agora chamado Onix Plus na nova geração. Mas a Chevrolet continuará produzindo e vendendo o antigo Onix que agora será rebatizado de Joy Plus atuando na faixa dos R$ 50 a R$ 65 mil.

A Volkswagen ainda aposta no Voyage que custa R$ 55,1 mil na versão 1.0 embora tenha um modelo mais caro (e melhor), o Virtus, que usa a plataforma do Polo, com preço a partir de R$ 65,4 mil na motorização 1.6 MSI. Neste caso a distância é grande em preço e produto, mas o Voyage tem seu público tal qual o veteraníssimo Gol que se mantém entre os mais vendidos do país.

A Fiat briga nos sedãs com o Cronos  que custa a partir de R$ 54,9 mil na versão 1.3 Firefly mantendo o Grand Siena na linha 2020 como carro de combate por R$ 50,4 mil na versão 1.0 Attractive. 

Essa estratégia chegou até mesmo às marcas japonesas como a Toyota que tem usado esse artifício dos modelos antigos com o Etios que na versão 1.3 manual custa R$ 55,1 mil. O Yaris custa bem mais caro: a partir de R$ 66,1 mil usando inclusive o mesmo conjunto mecânico do Etios que segue na linha 2020 sem alterações. 

O Nissan Versa o próximo a seguir neste caminho. Esta semana a marca começou a vender no México e nos Estados Unidos a nova geração do sedã, que chega por aqui ano que vem. No entanto, a Nissan, seguirá oferecendo no Brasil o atual Versa, mas com outro nome.

Mas nem todas usam essa estratégia. A Hyundai ao mudar o HB20S descontinuou o modelo antigo assim como a Renault ao mudar o Logan. Já a Ford tem o versátil Ka atuando desde a faixa de R$ 50 mil a R$ 75 mil. Na briga dos sedãs, quem compra novidade certamente não gosta do modelo antigo mas se ele vier tão equipado quanto o novo e for bem mais barato, é de se pensar que a compra seja vantajosa.


Comentários

Relacionadas

Veja Também

Fique Informado!!

Deixe seu email para receber as últimas notícia do dia!